Artigo

Foco e desfoco no negócio


Quando traçamos um objetivo na vida e estamos definindo algo que queremos atingir, montamos uma estratégia e determinamos um prazo para que isso ocorra. Parece simples, mas na verdade não é. A dificuldade é que a todo o momento somos tentados a desviar do nosso objetivo, algo que definimos como realmente importante para nós. Ao fim de um período observamos que o tempo passou e o nosso objetivo continua distante de ser alcançado.  Diante dessa situação sempre há duas alternativas: ou nos conformamos e assim, evitamos maiores questionamentos e aborrecimentos, ou, mudamos nossa postura, assumindo uma nova condição: trabalhar mais o objetivo, o foco.

 

Como na vida, muitas empresas agem da mesma forma, define-se um objetivo e uma estratégia de trabalho, mas gradativamente parece que não era bem aquilo que se esperava, a dificuldade é maior e, sem perceber, muda-se o foco que foi definido. É o ciclo do foco e desfoco no próprio negócio.

 

Como numa transformação, é preciso fazer uma ruptura nesta seqüência viciosa. Um exemplo clássico é a mudança para hábitos saudáveis que uma pessoa se obriga a ter após sofrer um ataque cardíaco. Nas empresas isto também acontece, principalmente quando a situação financeira torna-se crítica. A dificuldade é que quando esta condição doentia é identificada tardiamente a empresa pode já estar em colapso e, nestes casos, a possibilidade de recuperação torna-se remota.

 

A prevenção é sempre a melhor alternativa, seja para pessoas ou para as empresas. Alguns movimentos podem indicar que algo não está como deveria, servindo de alerta de que a empresa está percorrendo caminhos imprecisos. Contínuos lançamentos de produtos sem que os anteriores tenham atingido seu ciclo de maturidade, grande quantidade de itens sem direcionamento para um segmento específico, diversificação nos segmentos de atuação sem ter em nenhum deles participação expressiva ou ao menos, estar em crescimento, alto turnover de pessoal, baixo giro dos estoques. Estes são alguns exemplos de que a empresa pode estar desfocada.

 

É importante destacar que definir caminhos ou fazer escolhas nunca foi tarefa fácil e identificar o peso certo para cada decisão exige um bom trabalho de análise e, ainda assim, as respostas obtidas podem não estar de acordo com as nossas intenções. Portanto, ao definir o foco, é importante mantê-lo no centro das atenções e saber que objetividade não tem nenhuma relação com ansiedade.

 

Jamir Boozjamir@nivel10consultoria.com.br

Consultor e sócio da Nível 10 Consultoria Empresarial.

Formado em Publicidade e Propaganda pela FURB.

Pós graduado em Gestão Empresarial , ICPG.



Publicado em 07/02/2012 12:48:24