Notícias

Hanoff amplia negócios no Estado


O Grupo Hanoff, de Porto Alegre, vai intensificar os negócios em Santa Catarina, colocando à disposição dos empresários do Estado a Carteira deNegócios à Venda e o Banco de Investimentos da companhia. Com know howna área de fusão, aquisição e venda de empresas há 30 anos, a rede que é referência no Sul do país atua na prospecção, mediação e fechamento das transações, planejando cada etapa com total sigilo e transparência. Parceira do grupo na região, a Nível 10 Consultoria Empresarial é responsável pela etapa de valuation (avaliação), assim como pela preparação das empresas antes e depois da transação, de modo a manter o crescimento após a mudança.  

 

De acordo com a diretora da Hanoff Consultoria e Negócios, Monique Martins Hanoff, o mercado de compra e venda de empresas movimenta cifras bilionárias e envolve companhias conhecidas como TOTVS, Petrobras e Cooper. Somente nos primeiros oito meses de 2013 foram registrados 525 negócios dessa natureza no Brasil, sendo 57% com investidores nacionais. “Santa Catarina é um Estado potencial, especialmente o Vale do Itajaí, motivo pelo qual estamos ampliando nossas prospecções nesta área do país”, observa.  

 

Monique revela que a maioria das transações mediadas pela Hanoff em empresas de médio e grande porte teve como foco a saúde, prestação de serviços e TI. As empresas de micro e pequeno porte são mais visadas no varejo e setor alimentício. Mas independente da área de atuação ou tamanhoda empresa, alguns aspectos deves ser respeitados antes de ingressar em uma empreitada dessa natureza, caso contrário, o negócio pode se tornar inviável.

 

Preço

 

“O empresário precisa definir o preço da empresa com base em valores de mercado, e não com critérios emocionais. O tempo de dedicação à empresa não conta, mas, sim, seu valor real nos dias de hoje”, explica. Outro erro cometido pelos empresários nestas transações diz respeito à ausência de due diligence, conjunto de atos investigativos que devem ser realizados antes de uma operação. “É preciso ter em mente que a regra, nesses casos, é o ganha-ganha, comprador e vendedor devem se beneficiar. Para tanto, ter informação é vital”, salienta. O consultor e sócio da Nível 10 Consultoria, Moacyr França Filho, destaca um aspecto importante nessas transações. “Ao optar por vender, os sócios devem ter solidez na decisão, a qual deve ser tomada após a devida ponderação acerca das possibilidades de interesse pelo ramo da empresa. É preciso, também, analisar a capacidade de crescimento”, avisa. Segundo Moacyr, o produto que será fruto do negócio deve ser capaz de prosperar, o que só pode ser verificado com transparência.

 

Mais informações:

 

www.nivel10consultoria.com.br

www.hanoffconsultoria.com.br

 

Fonte: Assessoria N10 

Publicado em 15/10/2013 10:29:21
Comentários ( 0 )
DEIXE SEU COMENTÁRIO: